4 necessidades básicas do ser humano

1. Ser Ouvido na Essência

O ouvir na essência é mais que dedicar tempo para que o outro fale, é ter uma atitude aberta, “quase intuitiva”. Nosso ato de ouvir na essência deve, às vezes, devido a dificuldade do outro em falar sobre o problema, lançar mão de nosso poder de intuição, percepção além do óbvio, nossa forma quase mística que é acionada pela nossa intenção positiva, para que possamos realmente criar uma sinergia capaz de fazer essa relação gerar cura e aprendizado.

Ser ouvido na essência nos leva não só a nos compreendermos melhor, mas também ativa processos de autocura. Todos temos a necessidade de ter alguém com quem compartilhar e de sermos verdadeiramente ouvidos, respeitados, entendidos, acolhidos e não julgados. Ser ouvido na essência significa ser ouvido sem preconceitos ou julgamentos. Contar com alguém que realmente sinta e preste atenção no que é dito é algo muito raro e valioso. As pessoas que o fazem conseguem alcançar e tocar o fundo de nossas almas, criando uma relação de confiança recíproca. 

2. Ser Notado, Reconhecido ou Amado

Amor é um sentimento universal. É uma forma de demonstrar nosso afeto às pessoas pelas quais nutrimos grande carinho e afeição. É a capacidade de amar e ser amado, de compartilhar, proteger o outro e cuidar da sua felicidade e integridade física e emocional. Por ser um sentimento único e catalisador, une muitas outras emoções. Merecemos receber amor das pessoas assim como precisamos também vibrar esse sentimento único e transformador. 

Só nos sentimos realmente amados quando somos reconhecidos pelos outros. Isso não quer dizer que temos que receber elogios o tempo todo. Isso significa que precisamos nos sentir notados pelas pessoas, ser ignorado, desmerecido gera sofrimento e desumanidade. Sempre que nos sentimos importantes, reconhecidos, valorizados, nos sentimos também amados. 

3. Ter o Direito de Errar

Perdoar a Si Mesmo e aos Outros – Qual é/foi a intenção positiva do seu erro/ação? (Ressignificação)

A perfeição é algo inalcançável, mas muitos não se dão o direito de errar e querem alcançar um patamar que é humanamente impossível. O erro gera julgamento e, por isso, um dos princípios mais importantes do Coaching é suspender todo tipo de julgamento. Compreender o direito do outro de errar é também entender o próprio direito de cometer falhas e de todos possuem defeitos. Perdoar e compreender são os primeiros passos para entender seus próprios erros. 

Todos temos direito a errar. Não podemos acertar sempre, mesmo que as pessoas exijam isso de nós: no trabalho na vida afetiva, familiar, os amigos. Mas a pior cobrança não é a dos outros, mas a que nós mesmos nos fazemos. Quando você errar, não se condene. Está tudo bem. Você tem esse direito. E quando alguém te julgar mostre que essa pessoa também é falha e que ela também tem esse direito. 

4. Ter o Direito de Pertencer

Todos nós circulamos em vários grupos sociais. Vamos à escola, à igreja, à natação, ao clube, aos escoteiros etc. Nós temos o direito de estarmos em todos os sistemas. Não só de estar, mas de sermos aceitos, como somos, com nossa verdade, com nossa identidade. 

A coletividade nos forma e nos fortalece. Somos seres sociais e a sensação de pertencimento é uma sensação de vida em plenitude. Muitos não se sentem aceitos e pertencentes, por exemplo, à própria família. Isso gera exclusão e adoecimento do corpo e da alma. O acolhimento é a melhor forma de fazer com que as pessoas não apenas estejam nos lugares e nos grupos, mas que elas pertençam aos lugares e grupos. 

Por José Roberto Marques (Presidente do IBC)